carregando…
problemas-de-saude

5 problemas de saúde pública no Brasil

Não é preciso ler muito jornal para saber sobre o caos da saúde pública no nosso país. Quem é usuário do SUS, infelizmente, está acostumado a conviver com várias dificuldades, que impedem o acesso e o tratamento digno.

Mas, você sabe quais são os principais problemas enfrentados pela saúde pública no Brasil? E, ainda mais, como driblar essa situação e conseguir ter acesso a consultas e tratamentos com mais qualidade? Leia e descubra!

  1. Administração financeira mal feita

O sistema único de saúde, SUS, sofre com dois problemas básicos que acabam por fomentar as demais situações que abordaremos neste conteúdo que são: verba insuficiente e gerenciamento mal feito desse dinheiro.

A questão das verbas depende de ações políticas para modificar a destinação do que é arrecadado em impostos. Mas a má administração está diretamente relacionada a pessoas despreparadas e incapacitadas para gerir esses recursos, muitas vezes sem nenhum conhecimento na área.

  1. Falta de médicos

Além de poucos médicos querendo atuar na saúde pública, os profissionais ainda estão mal distribuídos. Os dados do Conselho Federal de Medicina, CFM, apontam que existe cerca de 1 médico para cada 470 brasileiros. Mas no Norte e Nordeste, por exemplo, o número é de 1 profissional para cada 953,3 e 749,6 habitantes respectivamente.

Para mudar essa realidade, muitas iniciativas precisam ser tomadas, principalmente tornar o acesso à educação mais simplificado, já que hoje o curso de Medicina ainda é completamente elitista e muito caro, o que impossibilita e dificulta o acesso.

  1. Espera longa para consultas

Esperar é algo que o brasileiro que usa o SUS está acostumado, mas não deveria. Isso indica que o sistema público de saúde realiza menos consultas do que poderia.

É claro que essa é uma situação que acaba acontecendo devido aos outros itens que citamos. Sem médicos e sem recursos é difícil conseguir atender a população, principalmente com o crescimento constante do número de usuários – e com a falta de recursos que não acompanha essa taxa de crescimento.

  1. Poucos leitos

A falta de leitos é algo que aflige os brasileiros. Uma pesquisa feita pelo CFM em 2017 mostrou que 2.089 entrevistados elegeram essa como uma das prioridades em termos de saúde pública, colocando-a na terceira posição no ranking de problemas elencados pela pesquisa.

A Associação Nacional de Hospitais Privados mostra que o nosso país tem cerca de 2 mil leitos por habitante, algo abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde, OMS, que aponta uma necessidade de 3 a 5 leitos.

  1. Altas mensalidades dos planos de saúde

Engana-se quem pensa que os problemas estão concentrados apenas no SUS. Os convênios são uma saída para quem deseja ter mais qualidade, mas as mensalidades altas impedem que muitos brasileiros tenham acesso a essa possibilidade.

Além disso, os convênios ainda possuem outras queixas, como: coberturas insuficientes, espera para ser atendido e dificuldades de encontrar médicos humanizados.

Qual a solução para esse problema?

Diante desse cenário, muitos brasileiros se questionam se existe uma saída. E o mercado já tem sinalizado que há, sim, luz no fim do túnel. Uma possibilidade crescente são as clínicas populares, que oferecem atendimento de qualidade, várias opções de exames e tratamentos e preços acessíveis.

Ao contrário dos planos de saúde, essas clínicas oferecem um atendimento mais personalizado e rápido – e você apenas paga pelas consultas ou exames de que necessitar, sem ter de arcar com altas mensalidades.

Para quem é de Belo Horizonte, já existem opções nesse ramo. As clínicas em BH oferecem diversos tipos de tratamentos e a possibilidade de se consultar com vários especialistas a valores mais justos e acessíveis. Nas outras cidades do país, a tendência também é de crescimento.

Como você viu, a saúde pública no nosso país não é das melhores e sofre com muitos problemas que acabam se refletindo diretamente no nosso dia a dia. Mas, já existem opções para quem não pode ou não deseja arcar com as altas mensalidades dos planos de saúde.

Você gostou deste conteúdo? Ainda tem alguma dúvida ou deseja contribuir com esse debate? Deixe um comentário pra gente!

Deixe uma resposta